Bibliotecas Acessíveis

Workshop


De acordo com o IBGE (2010), existem 143 mil pessoas com deficiência visual severa e 1,06 milhão de pessoas com grande dificuldade visual no Estado de São Paulo. O Sistema de Bibliotecas Públicas do Estado de São Paulo (SisEB), vinculado à Secretaria de Estado da Cultura, possui 653 bibliotecas integradas à sua rede, no entanto, com raras exceções, como no caso da Biblioteca São Paulo, praticamente inexistem serviços especializados para pessoas com deficiência visual nessas unidades.

A falta destes serviços e de equipamentos específicos impossibilita o acesso desses grupos aos serviços bibliotecários, a textos diversos e à fruição literária. Faz-se necessário, portanto, o desenvolvimento de políticas públicas que viabilizem à aquisição e manutenção de equipamentos de tecnologia assistiva e ao treinamento e aperfeiçoamento dos serviços bibliotecários para uso destes equipamentos e a divulgação destes serviços ao público com deficiência.

O uso da tecnologia assistiva reduz as barreiras ambientais e comunicacionais, facilitando e, muitas vezes, sendo a única maneira de viabilizar o acesso das pessoas com deficiência à fruição de bens culturais escritos.

Assim o Projeto “Acessibilidade em Bibliotecas” pretende garantir a disseminação das oportunidades de acesso a bens culturais em formato de texto (livros, revistas, ensaios, trabalhos acadêmicos e outros) disponíveis nos acervos de bibliotecas públicas municipais à população com deficiência visual e motora, que encontram impedimentos físicos para fruição desse conteúdo.

Esta oportunidade se dará por meio da aquisição (com recursos do FID) e distribuição de equipamentos de tecnologia assistiva capazes de viabilizar este acesso. Nesse sentido, e na impossibilidade momentânea de universalizar a instalação desses equipamentos em todas as bibliotecas, o projeto irá receber candidaturas e selecionar as melhores propostas, considerando o número estimado de usuários, o impacto local/regional e as estratégias de busca ativa de novos usuários.

Uma outra etapa do projeto é a formação de servidores das bibliotecas contempladas com o kit, estabelecendo a conexão entre a aquisição dos equipamentos e a contratação de uma empresa capaz de oferecer os 8 (oito) workshops previstos no projeto, de forma a proporcionar a complementariedade da política de acessibilização de bibliotecas municipais por meio de treinamento para que o servidor da biblioteca ofereça apoio técnico em relação aos equipamentos e aperfeiçoe seu atendimento ao público com deficiência.

Realizada a primeira etapa, vislumbramos agora a realização dos workshops cuja formação pretende abranger a:

a) Descrição do funcionamento e da indicação de uso de cada item de tecnologia assistiva cedido às bibliotecas pelo Projeto “Acessibilidade em Bibliotecas”, tendo em vista as diferentes necessidades dos usuários cegos, com baixa visão, surdocegos e pessoas com dificuldade motora;

b) Sugestão/apresentação de outros recursos de acessibilidade não contemplados no projeto e disponíveis no mercado, direcionados a todos os tipos de deficiência;

c) Instalação de equipamentos de tecnologia assistiva com uso associado a microcomputador (scanner leitor de mesa, teclado ampliado, ampliador automático de mesa, impressora braile, linha braile, mouse estacionário, software leitor de fala, computador);

d) Utilização de equipamentos de tecnologia assistiva (scanner leitor de mesa, teclado ampliado, ampliador automático de mesa, impressora braile, linha braile, mouse estacionário, software leitor de fala);

e) Formas adequadas de atendimento e comunicação com as pessoas que apresentam diferentes tipos de deficiência;

f) Formação de acervos acessíveis;

g)Estratégias de atração de público e estabelecimento de parcerias com órgãos públicos e da sociedade civil.